O uso indevido do Jaleco por profissionais na área de Saúde

Quando se encontra uma pessoa usado um jaleco sobre a roupa, geralmente se imagina estar diante de um médico ou outro profissional ligado à saúde, e isso gera uma impressão de status profissional. É essa uma das maiores falhas das pessoas que são obrigadas a usar o jaleco.


A sua verdadeira função está sendo comprometida, porque os profissionais estão utilizando o acessório de EPI - equipamento de proteção individual - como assessório de vestimenta e objeto identificador, o que pode ser considerado um risco para a saúde do profissional e das pessoas com quem ele tem contato.


O jaleco é considerado pela Norma Regulatória 32 um equipamento de proteção individual: ‘Vestimenta de Segurança contra risco biológico confeccionada com tecido tecnológico bacteriostático e utilizada como barreira corporal biológica e física em hospitais, laboratórios, fábricas, restaurantes, entre outros', e deveria ser usado para inibir a proliferação de bactérias, proporcionando maior segurança para pacientes e profissionais da saúde.


Apesar da NR 32 citar em seu item 32.2.4.6.2 que "Os trabalhadores não devem deixar o local de trabalho com os equipamentos de proteção individual e as vestimentas utilizadas em suas atividades laborais", não é esse o comportamento de profissionais da saúde.


Segundo a infectologista Presidente da Comissão de Controle de Infecção Hospitalar do Huse - CCH - Iza Maria Lobo, esse é um assunto que vem sendo bastante discutido, tendo em vista que o jaleco vem sendo usado por algumas pessoas como objeto identificador do profissional e não como meio de proteção.


Diante do risco do uso indevido do jaleco, faz-se necessário que os profissionais estejam atentos às orientações dos especialistas e evitem circular em ambientes diferentes com o equipamento que, dessa forma, acaba deixando de ser uma segurança e torna-se um vetor de transmissão bacteriana.

Projeto

Em Sergipe há um projeto de Lei em tramitação de autoria da Deputada Maria Mendonça (PSB) que ESTABELECE A RESTRIÇÃO AOS PROFISSIONAIS DA ÁREA DE SAÚDE QUE ATUAM NO ÂMBITO DO ESTADO DE SERGIPE DE UTILIZAREM EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL COM OS QUAIS TRABALHAM - TAIS COMO JALECOS E AVENTAIS - FORA DO SEU AMBIENTE DE ATUAÇÃO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

Com informações do Clicksergipe

 


DE OLHO NO INSTAGRAM