Maria pede prorrogação de Decreto para ajudar produtores de milho

A deputada estadual Maria Mendonça (PSDB solicitou a prorrogação do Decreto 40.462 que estabelece em 2% o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre a venda de milho nas operações internas e interestaduais em Sergipe.  O ato governamental expira no próximo dia 30 deste mês. No seu entender, mantendo-se o percentual, os produtores conseguem sustentar a competitividade da produção e, naturalmente, o escoamento da safra.

“Fui procurada por uma comissão de produtores da região do Agreste. Eles se revelaram apreensivos com essa situação, pois todos estão vivendo em um cenário de incerteza e de extrema dificuldade”, disse a deputada, ressaltando que o agronegócio é quem tem sustentado o país. “No nosso Estado não é diferente. Faço um apelo ao colega Zezinho Sobral, enquanto líder do Governo, e a todos os colegas que se somem a essa causa nobre, que é a garantia do agronegócio com possibilidade de resultados positivos para os produtores de milho e, consequentemente, para o Estado”, enfatizou.

A parlamentar disse acreditar na sensibilidade do governador Belivaldo Chagas em garantir a prorrogação do benefício aos trabalhadores. “Não tenho dúvida do compromisso do Governo com o desenvolvimento do agronegócio em nosso Estado. Prorrogar o Decreto é garantir o funcionamento desse pilar econômico e oferecer mais tranquilidade aos produtores de milho, permitindo-os que permaneçam no mercado de forma competitiva”, afirmou.

Em 2020, segundo a Secretaria de Estado da Agricultura (Seagri), Sergipe atingiu a maior safra de milho dos últimos 10 anos, com um aumento de 29,3% em relação a 2019. "É um dado que demonstra a importância desse produto para a economia sergipana. O milho, de acordo com informações do IBGE, representa 96% da produção total de cereais, leguminosas e oleaginosas em nosso Estado", observou a deputada.


Pró-Rodovia –Maria, também, falou sobre a importância do projeto Pró-Rodovias como um facilitador desse processo de escoamento da produção agrícola sergipana.  Ela lembrou, no entanto, da necessidade de reestruturação de trechos da rota da SE-170, que começa em Moita Bonita e vai até Lagarto, passando por Campo do Brito e São Domingos. “É um espaço muito deteriorado", disse.



DE OLHO NO INSTAGRAM