Deso: Maria cobra solução para problemas enfrentados por sergipanos

Aproveitando a participação do presidente da Companhia de Saneamento de Sergipe (DESO) Carlos Melo, na sessão remota da Assembleia Legislativa, nesta quarta-feira (27), a deputada estadual Maria Mendonça (PSDB) cobrou a efetividade de ações solicitadas por ela, através de proposituras já aprovadas pelo Parlamento. Entre as cobranças está o conserto de uma caixa d’água, do povoado Lages, em Nossa Senhora Aparecida, protocolada em fevereiro passado.

“Essa caixa d’ água está sem funcionar porque a bomba queimou e a população tem enfrentado sérias dificuldades em virtude dos constantes desabastecimentos de água na comunidade”, explicou Maria, observando que, quando a caixa estava em funcionamento os moradores sofriam menos o impacto, uma vez que havia uma reserva de água para suprir as suas necessidades, mesmo que fosse, por curto período. “Sem a caixa, que carece apenas de um reparo, os problemas se agravam, ainda, mais. Temos recebido diversos apelos de habitantes para que haja uma solução para o problema”, enfatizou a deputada.

Em resposta ao questionamento da deputada, Carlos Melo disse verificará a situação e dará um breve retorno sobre o assunto. Ele salientou, no entanto, que a região de Nossa Senhora Aparecida depende da obra do alto sertão, que ainda não foi concluída por falta de recursos.

Maria Mendonça, também, pontuou a situação enfrentada por moradores dos municípios de Pinhão e de Frei Paulo que, de acordo com ela, têm sofrido bastante com a constante falta de agua. “Tenho sido muito cobrada por essa situação que é gravíssima. Pinhão, por exemplo, passou um bom período sendo abastecido por carro-pipa. A população tem nos cobrado muito e, com razão, por isso gostaria de saber como o problema pode ser solucionado”.


ITABAIANA – A deputada, ainda, questionou Melo sobre o prazo para a conclusão da obra de esgotamento que vem sendo realizadas pela empresa, no município e que, em momentos chuvosos, tem gerado sérios transtornos à população. “Sabemos da relevância da obra, pela qual lutamos muito, entendemos a sua importância para o nosso município, mas a população não pode continuar sofrendo prejuízos, como os que têm acontecido toda vez que chove”, disse.


Carlos Melo informou que em relação à parte da drenagem  - que é das águas pluviais -  não tinha como estabelecer um prazo exato para a conclusão, uma vez que muita coisa precisou ser alterada, por conta desse período de pandemia. “É uma obra gigantesca que, de fato, traz transtornos nesse momento, mas os benefícios são incalculáveis”, disse Melo.


Maria concluiu destacando o trabalho da Deso e pedindo que a empresa foque na prestação de serviços e na qualidade da água consumida pelos sergipanos.



DE OLHO NO INSTAGRAM