Câncer de pele: Maria Mendonça alerta para o aumento de casos

Autora da Lei nº 8.174, em vigor desde 2016, que obriga o Estado a implantar ações permanentes e articuladas entre entes públicos e privados, voltadas à prevenção, ao diagnóstico e ao tratamento de doenças decorrentes da exposição do trabalhador rural ao sol durante o exercício da atividade, a deputada estadual Maria Mendonça (PSDB) destacou a importância da Campanha Dezembro Laranja, cujo intuito é chamar a atenção para o problema que afeta milhões de brasileiros todos anos.


“Temos que nos preocupar em conscientizar e esclarecer os trabalhadores sergipanos sobre os cuidados e procedimentos a serem adotados quando estiverem em seu labor expostos ao sol", alertou Maria, ao ressaltar que a Campanha Dezembro Laranja foi criada pela Sociedade Brasileira de Dermatologia, com o objetivo de prevenir o câncer de pele, principalmente o não melanoma, que é o mais frequente no Brasil e corresponde a cerca de 30% de todos os tumores malignos registrados no país.


Só no ano passado, o Instituto Nacional de Câncer (Inca) previu o registro de 176.930 novos casos de câncer de pele não melanoma, sendo 83.770 em homens e 93.160 em mulheres. “Não há estimativa oficial para este ano, mas sabemos que são casos que crescem a cada dia, por uma série de fatores, mas especialmente pela super exposição ao sol”, falou a deputada, acrescentando que, a lei que vigora em Sergipe, a partir de Projeto de Lei  de sua autoria visa prover a rede de saúde e demais serviços públicos, de meios necessários para verificar a exposição da população rural a fatores de risco, realizando a prevenção, o controle e o tratamento desse tipo de doença, incentivar a utilização de protetor solar e a realização de exames especializados para detecção de câncer de pele e de outras enfermidades cutâneas.


A lei também prevê que os estabelecimentos públicos e privados devem promover campanhas educativas, visando o esclarecimento da população rural sobre os cuidados e procedimentos a serem adotados quando em atividade de exposição ao sol.  “Especialistas alertam ser necessário evitar a exposição excessiva à radiação solar, composta pelos raios UVB (responsável pela queimadura avermelhada da pele) e UVA (ultravioleta), principalmente entre 10h e 16h”, citou Maria, observando a radiação UVA penetra profundamente na pele e é a principal responsável pelo câncer da pele.



DE OLHO NO INSTAGRAM