Maria Participa de Reunião para resolver situação dos Obstetras da Maternidade São José

O Governo do Estado e a Prefeitura Municipal de Itabaiana chegaram a um consenso nesta sexta-feira, 30, e vão assegurar um piso salarial em torno de R$ 5 mil para os obstetras da Maternidade São José. Ficou definido que o governo do estado arcará com 50% e a Prefeitura com os outros 50% para garantir a folha mensal dos oito obstetras que prestam serviços àquela unidade de saúde no município.


O consenso foi possível durante reunião entre os secretários de Saúde, Antonio Carlos Guimarães (Estado) e Roberto Bispo (Município) com representantes da Maternidade São José, dos obstetras e do Sindicato dos Médicos de Sergipe (Sindimed). A reunião aconteceu no gabinete do secretário Antonio Carlos Guimarães, que recebeu a pauta de reivindicações das mãos do administrador da maternidade, João Batista. "Analisamos a pauta e chegamos à conclusão que será possível atender as reivindicações quanto à remuneração e, posteriormente, vamos compor o valor para que seja repassado", disse o secretário Antonio Carlos Guimarães, ao final da reunião.

A deputada estadual Maria Mendonça também participou da reunião. "É uma discussão para se chegar a um consenso pela permanência dos excelentes serviços prestados à população pelos bons profissionais que compõem a equipe da Maternidade", justificou a parlamentar. Ao final, ela também demonstrou satisfação com os entendimentos. "Graças a Deus se chegou ao consenso desejado", comemorou.

Estatísticas

Também participaram da reunião a irmã Joana D´Arc Oliveira, integrante da Irmandade Mães Missionárias da Imaculada Conceição Mãe de Deus, entidade que mantém a maternidade, o diretor clínico da unidade, Edmundo da Graça Santos, que abraçam as reivindicações da classe médica. O corpo diretor da Maternidade não tem dúvida que, inviabilizado os entendimentos, os serviços corriam riscos de suspensão.

A maternidade tem um quadro composto por 110 funcionários que incluem os especialistas (obstetras, pediatras e anestesistas), dotada de 95 leitos, além de ambulatório pós-natal. Segundo estatística do Sindimed, em 2010 a maternidade realizou 4.274 procedimentos, entre partos normais e cesarianas, numa média de 355 atendimentos mensal; 536 curetagens uterinas, com média mensal de 45 procedimentos, e apenas uma mortalidade materna, mantendo-se no patamar dos anos anteriores. "E nunca houve interrupção dos serviços por falta de plantonista", assegura o presidente José Menezes.

Por Cássia Santana - infonet

 


DE OLHO NO INSTAGRAM