Maria destaca papel da AACC em prol de crianças cardiopatas

A comemoração do Dia da Conscientização da Cardiopatia Congênita, comemorado no dia 12 de junho (quarta-feira, quando também se comemora o Dia dos Namorados), foi lembrado nesta terça-feira, 11.6, pela deputada estadual Maria Mendonça.

A parlamentar disse que se trata de um tema que pede responsabilidade e compromisso dos agentes públicos com a criança cardiopata, e com os seus familiares. "Nosso papel é legislar e garantir direitos na construção da cidadania e dignidade humana. O Estado é um ente público que tem o dever de assegurar politicas e garantir respeito ao ser humano, garantir sua integridade, sua paz e seu desenvolvimento", disse. O Dia da Conscientização da Cardiopatia Congênita é uma conquista da Associação de Assistência à Criança Congênita (AACC) Pequenos Corações, uma organização sem fins lucrativos que apoia famílias de crianças com problemas de coração congênitos.

A deputada lembrou que a cardiopatia congênita é uma anormalidade na estrutura ou função do coração que surge nas primeiras oito semanas de gestação, quando o órgão se forma. Atualmente, uma a cada cem crianças nascidas tem algum defeito no coração, porém em algumas delas isso só é descoberto anos mais tarde. Maria Mendonça lamentou não poder tratar do assunto amanhã, dia 12, quando estará na Festa dos Caminhoneiros, em sua cidade. "Itabaiana estará em festa, estarei ausente. Nessa data a comemoração do amor se materializa, uma mobilização iniciada há três anos pela AACC que espalha para difundir a importância do poder público em garantir o direito à vida com a adoção de medidas que contribuam com qualidade de vida, com ações preventivas que promovam a redução da mortalidade infantil e garanta vida saudável às crianças com cardiopatia".

Em seu discurso, Maria Mendonça disse que milhares de crianças clamam por direito à vida e o poder público precisa fazer sua parte. A deputada mostrou aos colegas um vídeo que revelou o nível de compromisso da AACC Pequenos Corações com a causa das crianças cardiopatas, mostrando o papel importante dos médicos e dos familiares que dividem a angústia de enfrentar a doença.

"Um problema que poderia ser contornado com políticas públicas de saúde. Esse tema que trato hoje vitimou minha família, meu irmão Chiquinho foi vítima de uma cardiopatia congênita, se tivesse sido diagnosticado cedo estaria conosco, podendo cuidar de sua filha e nos dando a alegria de seu convívio. Minha família estaria completa e meus pais seriam poupados dessa dor que é enterrar um filho, contrariando a ordem natural da vida".

A deputada pediu que a Assembleia Legislativa agilizasse projeto de sua autoria que está parado e institui o teste do coração, tornando obrigatória a realização do teste do coraçãozinho em recém-nascidos nas maternidades. "Algumas gotinhas que fazem diferença e vão salvar muitas vidas. É um teste simples, mas que vai salvar vidas. O projeto institui o dia 12 de junho como o Dia Estadual de Conscientização da Cardiopatia. O Estado precisa dar atenção e nós precisamos dar notoriedade e garantir que os pais tenham o teste do coraçãozinho que vai ajudar a evitar que passem pela dor que passei, que é perder um irmão com um problema assim".

Dilson Ramos, Agência Alese


DE OLHO NO INSTAGRAM