Deputada Maria Mendonça vota Contra Projeto que põe em risco reajuste do piso dos Professores

Por 13 votos a 07 o Governo do Estado de Sergipe conseguiu aprovar na Assembleia Legislativa Projeto de Lei Complementar que extingue o Nível Médio do quadro permanente do magistério estadual. Com isso os professores que têm nível superior (graduação, pós-graduação, mestrado, doutorado) ficam sem referência para o reajuste do piso e correm o risco de terem somente a reposição das perdas inflacionárias.

"Esse é um dia de muita indignação e revolta para o magistério da rede estadual, pois os parlamentares votaram a favor do desmonte da carreira do professor. O piso é uma conquista que veio depois de muita luta, com greves, com muita negociação e os deputados jogaram essa luta por terra. Os professores saem desta casa legislativa revoltados", disse a presidenta do SINTESE, Ângela Melo.

Em entrevista que concedeu aos diversos veículos de comunicação que acompanharam a votação a presidenta do SINTESE foi enfática, os professores não aceitarão reajuste diferenciado, o sindicato lutará para que a categoria tenha reajuste único e que a isonomia salarial não seja perdida.

Como foi o voto dos deputados

Votaram contra o projeto e favor dos professores, os deputados: Ana Lúcia, Capitão Samuel, Maria Mendonça e Zé Franco e a bancada de oposição ao governo Déda (Venâncio Fonseca, Arnaldo Bispo, e Goreti Reis).

Votaram a favor do projeto e contra os professores, os deputados: Francisco Gualberto, Gustinho Ribeiro, Luiz Mitidieri, Adelson Barreto, Suzana Azevedo, Gilson Andrade, Raimundo Vieira, Conceição Vieira, Paulinho das Varzinhas, Zeca da Silva (que voltou a ALESE somente para participar da votação), Jeferson Andrade, Pastor Antônio dos Santos e João Daniel. Estes dois últimos foram alvo de diversos apelos de professores ligados ao movimentos sociais e às igrejas. Ao final da votação, vários deles se sentiram traídos pela postura dos dois deputados.

 


DE OLHO NO INSTAGRAM