Deputada Maria Mendonça registra importância da doação de sangue

No Dia do Doador Voluntário de Sangue, a deputada Maria Mendonça (PP) fez pronunciamento na sessão desta segunda-feira, dia 25, da Assembleia Legislativa para destacar a importância da doação de sangue. Ela lembrou que desde o início do seu mandato demonstrou preocupação acerca da sensibilização dos sergipanos não apenas para a doação sanguínea, mas também de medula óssea, o que pode ser comprovado através de dois projetos de lei de sua autoria aprovados.

Um deles é o que institui a Semana de Conscientização do Doador de Medula Óssea e outro que dispõe sobre a execução de tipagem HLA nos materiais coletados na doação de sangue, objetivando posteriormente a inclusão dos dados no Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (Redome), o que, na avaliação da deputada, indiscutivelmente será um aliado daquelas pessoas que são acometidas por problemas de saúde. "Por isso hoje é importante abordarmos nesta Casa a importância da doação de sangue", destacou.

Segundo Maria Mendonça, a doação é um dos mais belos atos de amor que podemos praticar. Em seu discurso, a deputada passou algumas informações acerca da doação. Ela disse que, de acordo com o site do Instituto de Hematologia e Hemoterapia de Sergipe, em apenas uma doação quatro vidas podem ser salvas, pois o sangue doado é dividido em hemocomponentes que serão destinados para os pacientes, dependendo das suas necessidades: hemácias, concentrado de plaquetas, plasma e criroprecipitado.

"Esse gesto demora aproximadamente 20 minutos. Gesto de doar para salvar vidas", frisou. A deputada ressaltou que esse ato é extremamente seguro, pois todo material usado é descartável e estéril e o pessoal que faz a coleta é treinado para fazer o serviço com a maior segurança possível. "Existe assistência médica especializada durante e após todo processo de doação. É importante frisar que o sangue funciona como um transportador de substâncias, de extrema importância para o funcionamento do corpo. Quase toda defesa do organismo está concentrada nele. É um tecido de extrema importância para o funcionamento da máquina humana e não pode ser substituído por qualquer outro líquido, por isso a doação é tão importante".

Percentual baixo

De acordo com a deputada, a Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda que o percentual ideal de doadores para o país é entre 3,5% a 5% da sua população. No entanto, no Brasil esse percentual está em menos de 2%. "É uma situação gravíssima. E essa quantidade ainda sofre uma queda alarmante durante o inverno e as férias e aí os hemocentros ficam obrigados a operar com o mínimo necessário", disse.

Ela relatou que, segundo dados do Ministério da Saúde, os homens são responsáveis por mais de 70% das doações, situação semelhante em Sergipe, onde as mulheres respondem por 30% das doações. Maria Mendonça lembrou que alguns mitos levantados pelas pessoas sem a devida instrução têm colaborado para que os hemocentros recebem menos doadores. Entre esses mitos estão de que quem doa sangue uma vez tem que continuar doando para o resto da vida; que a doação engrossa o sangue, obstruindo as veias; que faz o sangue afinar e virar água; que engorda, que emagrece, que vicia. "Tudo isso não tem nada a ver", esclareceu.

A deputada Maria Mendonça ressaltou que salvar vidas só depende de cada um de nós, ter boa vontade e se disponibilizar a fazer esse gesto de amor. "Todas as exigências de higiene são seguidas à risca para que ninguém corra risco de contaminação. Portanto, deixe despertar o espírito cristão, que em muitos se encontra adormecido, e busque fazer uma boa ação", disse, fazendo o convite para que todos possam visitar o Centro de Hemoterapia e se se tornem doadores. O Hemose está localizado na avenida Tancredo Neves, s/n, no bairro Capucho, em Aracaju. O telefone de contato é o 3225-8000. O horário de funcionamento é, de segunda a sexta-feira, das 7h30 até as 17h, e aos sábados, das 8h às 12h.

Para doar, destacou a deputada em seu discurso, as condições básicas estão: sentir-se bem, com saúde, documento com foto válido em todo território nacional, ter entre 16 e 69 anos e ter peso acima de 50kg. Para o dia da doação, entre as recomendações estão estar bem alimentado, ter repouso mínimo de 6 horas na noite anterior, não ingerir bebida alcoólica nas 12 horas anteriores, evitar fumar 2 horas antes da doação e evitar alimentos gordurosos nas 3 horas antecedentes à doação.


Não pode doar quem teve diagnóstico de hepatite após os 11 anos de idade, mulheres grávidas ou amamentando, pessoas expostas a doenças transmissíveis como Aids, hepatite e doença de Chagas, bem como usuários de drogas, pessoas que fizeram tatuagem ou colocaram piercing em locais não vistoriados pela Vigilância Sanitária, nos últimos 12 meses, pessoas que tiveram relação sexual com desconhecidos ou parceiros eventuais sem preservativo nos últimos 12 meses.

"Todo sangue doando é separado os seus componentes e assim poderá beneficiar mais de um paciente. Os componentes são distribuídos aos hospitais para atender casos de emergência e internados. Ninguém está livre de um dia precisar de uma transfusão por cirurgia, acidente e procedimento médico. O sangue doado não fará falta ao doador. Todo processo de doação dura cerca de uma hora", disse.

Antes de encerrar seu pronunciamento, a deputada disse que o doador também benefícios, como a isenção de taxa em concurso público promovido em Sergipe e isenção de taxa de IPTU para pessoas que tiver renda de até três salários mínimos. "É um simples gesto que pode salvar a vida de muita gente. Doe sangue. Esta é a oportunidade de colocarmos em prática um dos mais belos provérbios: fazer o bem sem olhar a quem", finalizou Maria Mendonça.

Agência Alese

 


DE OLHO NO INSTAGRAM