02 de Abril: Dia Nacional de Conscientização do Autismo

O que é o autismo?


O autismo, também chamado de Transtorno do Espectro Autista, é um Transtorno Global do Desenvolvimento (TGD) que tem influência genética e é causado por defeitos em partes do cérebro, como o cerebelo, por exemplo.


Caracteriza-se por dificuldades significativas na comunicação e na interação social, além de alterações de comportamento, expressas principalmente na repetição de movimentos, como balançar o corpo, rodar uma caneta, apegar-se a objetos ou enfileirá-los de maneira estereotipada. Todas essas alterações costumam aparecer antes mesmo dos 3 anos de idade, em sua maioria, em crianças do sexo masculino.


Para o autista, o relacionamento com outras pessoas costuma não despertar interesse. O contato visual com o outro é ausente ou pouco frequente e a fala, usada com dificuldade. Algumas frases podem ser constantemente repetidas e a comunicação acaba se dando, principalmente, por gestos. Por isso, evita-se o contato físico no relacionamento com o autista - já que o mundo, para ele, parece ameaçador. Insistir neste tipo de contato ou promover mudanças bruscas na rotina dessas crianças pode desencadear crises de agressividade.

Para minimizar essa dificuldade de convívio social, vale criar situações de interação. Respeite o limite da criança autista, seja claro nos enunciados, amplie o tempo para que ele realize as atividades propostas e sempre comunique mudanças na rotina antecipadamente. A paciência para lidar com essas crianças é fundamental, já que pelo menos 50% dos autistas apresentam graus variáveis de deficiência intelectual. Alguns, ao contrário, apresentam alto desempenho e desenvolvem habilidades específicas - como ter muita facilidade para memorizar números ou deter um conhecimento muito específico sobre informática, por exemplo. Descobrir e explorar as 'eficiências' do autista é um bom caminho para o seu desenvolvimento.


Sinais de Alerta

Fique atento aos primeiros e mais importantes sinais que caracterizam uma criança autista. Nada mais importante que o diagnóstico precoce para melhores resultados no tratamento.
Chegar a um diagnóstico de autismo não é simples, pois os Transtornos do Espectro Autista não são muito conhecidos e não existem exames para identificá-los. Porém, alguns podem ser necessários para descartar outros problemas, como exames auditivos (de ouvido), visuais (de vista) etc.
É preciso fazer uma avaliação completa da criança para se chegar a um diagnóstico, que feito por uma equipe de profissionais especializados.
A avaliação não é feita em um único atendimento, é um processo que deve ter acompanhamento contínuo. Aqui, você saberá como realizar os exames e que profissionais procurar para o tratamento do autismo.

Cuidados e Tratamentos

Depois da descoberta do autismo, o próximo passo é partir para a ação. Mesmo que para muitos pais, o desespero após o diagnóstico vire uma corrida desesperada contra o tempo, é consenso aproveitar essa janela de oportunidade, que vai até os 7 anos, aproximadamente. Nada de atropelos. Muitos pais agem como se fosse "agora ou nunca". Não precisa ser assim. Teremos sugestões de terapias e intervenções variadas. Habilidades podem ser desenvolvidas em qualquer idade e o resultado maior ou menor, depende apenas do começo.

Quem criou a conscientização todo 2/abril?
A ONU criou a data no fim de 2007, iniciando a campanha em 2/abril/2008. Desde então, anualmente o mundo todo se ilumina de azul pelo autismo.

 


DE OLHO NO INSTAGRAM